Educação de Aparecida começa hoje nova distribuição de cestas de alimentos

Postado em: 23/06/2021

A entrega de cestas de alimentos às famílias dos alunos deve acontecer por meio de agendamento nas escolas e CMEIs

Na manhã desta quarta-feira, 23, às 8h, o secretário de Educação Divino Gustavo compareceu à Escola Municipal de Educação Integral (EMEI) Wilsonina de Fátima, Setor Independência Mansões, para fazer a abertura oficial de mais uma remessa de entrega de cestas de alimentos destinadas às famílias dos alunos matriculados na Rede Municipal de Educação (RME). A medida envolve recursos que ultrapassam a ordem de 1,7 milhão de reais e deve contemplar mais de 46 mil alunos nesta segunda edição do ano.

Pai do aluno Victor Douglas, 7, matriculado no 1º ano, o vigilante Max Douglas Martins Silva, 34, foi um dos que puderam retirar o benefício neste primeiro dia de entrega. Ele fala das dificuldades enfrentadas atualmente e comenta sobre a importância de receber o apoio da Prefeitura. “A cesta ajuda muito na despesa em casa, porque, com essa pandemia, minha esposa perdeu o emprego. Graças a Deus eu ainda estou trabalhando, mas só que o salário não é o suficiente.”, confidenciou. 

Quem também compareceu para retirar sua cesta de alimentos foi a diarista Tatiana de Jesus Marques, 35, mãe de três crianças, uma delas matriculada na unidade escolar. Ela afirma que a família vem sobrevivendo apenas de pequenos serviços, que ela e o marido têm conseguido fazer para manter as despesas básicas de casa. “Estou muito feliz, porque essa cesta chegou em boa hora”, resumiu.

Diretora da unidade educacional, Gizélia Maria Brito Cardoso, destacou a importância da entrega das cestas e falou da ansiedade dos pais ao aguardar o momento de retirar o benefício na escola. “A gente vivencia histórias muito tristes aqui na nossa comunidade escolar e sabemos que as famílias necessitam muito dessa cesta, seja para acrescentar na alimentação da criança, ou mesmo para garantir que não falte a ela o trivial, que é o arroz e o feijão”, falou. 

O secretário de Educação, professor Divino Gustavo (foto acima), garantiu que a entrega de cestas irá acontecer até o dia 30 deste mês e que as escolas, sob orientação da Secretaria Municipal de Educação (SME) estão encarregadas de estabelecer seus próprios cronogramas e devem executar a tarefa respeitando os protocolos estabelecidos para o período de pandemia. Explicou também que as cestas são compostas de kits de alimentos que devem manter um padrão mínimo, podendo variar, de acordo com a unidade escolar e a modalidade educacional. “As escolas de tempo integral e os CMEIs são instituições em que os alunos passam o dia inteiro, em tempo de aulas presenciais. Os recursos dessas unidades são maiores do que o recurso destinado às escolas municipais de período parcial”, explicou. 

Desde que as aulas presenciais foram interrompidas no começo da segunda quinzena de março de 2020, quando, em função da crise sanitária vivida pelo país, professores e alunos se viram obrigados a migrar para o ensino remoto (REANP), a Prefeitura vem instruindo a SME que, por sua vez, tem orientado as unidades educacionais a reverter os recursos da merenda escolar em cestas de alimentos, que vêm sendo repassadas às famílias das crianças matriculadas. 

A medida é respaldada pelo Governo Federal que, no ano passado, editou a Lei nº 13.987 e a Resolução nº 2 com o objetivo de regulamentar a ação. Com a publicação das normativas, o MEC passou a autorizar, em caráter excepcional, a distribuição de gêneros alimentícios adquiridos com os recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). “Para muitas crianças, a merenda escolar representava a principal alimentação do dia. A entrega de cestas de alimentos para as famílias é uma forma de contribuir para manter a saúde dessas crianças prevenindo eventuais situações de insegurança alimentar”, concluiu o secretário.

Compareceram à solenidade de entrega de cestas os vereadores André Fortaleza, Marcelo da Saúde, Marcos Miranda, Orlanes Maranhão, Getúlio Andrade e Domingos Rodrigues. O prefeito Gustavo Mendanha foi representado pelo secretário da pasta de Articulação Metropolitana, Carlos Moreira Lopes. 

Fontes: Gedeon Campos e Juliana Fulquim

Escolas e Cmeis de Aparecida iniciam primeira distribuição de cestas de alimentos em 2021

Postado em: 12/04/2021

Retirada dos kits de alimentos nas unidades escolares é por agendamento e as entregas respeitam os protocolos de prevenção à Covid-19

Pela manhã desta segunda-feira, 12, a Escola Municipal de Educação Integral (EMEI) Retiro do Bosque, unidade educacional que fica na região leste da cidade, foi palco de lançamento da primeira etapa, de 2021, de distribuição dos kits de alimentos para as famílias dos alunos matriculados em escolas, CMEIs e entidades conveniadas com a Rede Municipal de Ensino (RME) de Aparecida. A solenidade, que obedeceu todos os protocolos exigidos pelos organismos de Saúde, contou com a presença do titular da pasta da Secretaria Municipal de Educação (SME), professor Divino Gustavo, do deputado federal, Professor Alcides Ribeiro, além dos vereadores Roberto Chaveiro, Valéria Pettersen, Orlanes Maranhão e Marcos Miranda.

A partir de hoje, a entrega das cestas de alimentos estarão sendo distribuídas em todas as unidades educacionais vinculadas à SME, de acordo com a divulgação de cada unidade para a sua respectiva comunidade escolar, seguindo agendamento prévio e respeitando as regras previstas em tempos de pandemia. A ação desta primeira etapa, conforme informações da Coordenadoria de Alimentação Escolar da SME, envolve o montante de mais de 1,7 milhão de reais repassados do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). “Este valor foi acumulado pelos repasses referentes aos meses de fevereiro, março e abril destinados à alimentação dos alunos”, explicou o coordenador de Alimentação Escolar, Waner Nascimento.

O coordenador explicou ainda que, em razão de as unidades educacionais terem características distintas umas das outras, tais como número diferentes de alunos ou pelo fato de escolas oferecerem o atendimento em tempo parcial e EMEIs e CMEIs atenderem os alunos em tempo integral, os valores recebidos pelas instituições não são os mesmos. “Isso faz com que as cestas de alimentos oferecidas pelas unidades educacionais às famílias sejam diferentes, contendo a quantidade de produtos de acordo com o montante de recursos recebidos pela escola”, destacou o coordenador. 

No ato de lançamento da entrega dos alimentos no EMEI Retiro do Bosque,  o secretário de Educação, Divino Gustavo, ratificou a informação de que as cestas de alimentos podem variar de uma unidade educacional para outra e lembrou que os valores repassados pelo Governo Federal para o Programa de Alimentação Escolar é de 36 centavos/dia por aluno de escolas de tempo parcial (matutino ou vespertino) e de R$ 1,07/dia para alunos de EMEIs e CMEIs. 

O secretário falou também das estratégias adotadas para fazer com que as cestas cheguem às mãos das famílias, destacando principalmente os cuidados com o cumprimento dos protocolos sanitários para evitar riscos de contaminação pelo coronavírus. Ressaltando a importância da entrega do benefício, em razão do impacto financeiro que a pandemia vem causando na vida das famílias, afirmou que todas as famílias que possuem alunos matriculados na RME receberá o seu kit de alimento. “Para a Secretaria de Educação é uma satisfação poder contribuir num momento como este que estamos vivendo, momento tão difícil vivido pelas nossas famílias aparecidenses”, observou o secretário.   

Presente à solenidade, o deputado federal, Professor Alcides Ribeiro, que é membro da Comissão de Educação na Câmara Federal, na oportunidade, falou sobre o valor destinado pelo Governo Federal, via Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Reconheceu que a quantia é irrisória e garantiu que no dia 29 deste mês apresentará requerimento solicitando que este valor seja dobrado, passando, portanto, a ser de R$ 0,72 para as escolas de meio período e de R$ 2,14, para as instituições de tempo integral. “O aumento será de cem por cento. Não vai resolver o problema, mas vai ajudar muito, porque sabemos que 36 centavos é um valor insignificante que atualmente não dá nem para comprar um pão”, avaliou o deputado.

A entrega das cestas é bastante aguardada pelos pais e responsáveis pelas crianças matriculadas na rede. É o que destacou, por exemplo, Nhorton Chapadense Pereira, 54, professor, que é pai de quatro crianças matriculadas na unidade escolar EMEI Retiro do Bosque, unidade educacional que atende, ao todo, 440 crianças de 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. Ele explica que a ação promovida pela Secretaria de Educação, ao fornecer as cestas de alimento por meio das unidades escolares, contribui significativamente com o orçamento doméstico das famílias e dá aos mais necessitados um pouco mais de tranquilidade financeira. “Com a entrega das cestas, a Secretaria vem nos ajudar e está ajudando principalmente as famílias que estão mais carentes neste momento de crise”, frisou.

As cestas de alimentos devem contribuir com a alimentação de mais de 46 mil alunos matriculados na rede e, sob a orientação da Coordenadoria de Alimentação Escolar, foram compradas pelas próprias unidades educacionais com os recursos do PNAE repassados pelo Ministério da Educação. Apesar das cestas sofrerem variações de uma unidade escolar para outra, a SME recomendou um padrão mínimo para os kits de alimentos oferecidos pelas escolas de tempo parcial, que deverão conter, no mínimo, dois quilos de arroz, um quilo de feijão, um quilo de macarrão, um extrato de tomate 340 gramas e um litro de leite. Já no caso das EMEIs e dos CMEIs, onde o aluno, em tempos de aulas presenciais, frequentariam o dia inteiro, os kits devem conter, no mínimo, cinco quilos de arroz, um quilo de feijão, um quilo de macarrão, três litros de leite, além do extrato de tomate 340 gramas.

Fonte: Gedeon Campos e Felipe Fulquim

Escolas, Emeis e Cmeis realizam Semana da Alimentação Saudável

De 25 a 29 de março de 2019, nas unidades educacionais do município acontece a Semana da Alimentação Saudável. As ações estão sendo desenvolvidas sob a orientação da Coordenadoria de Alimentação Escolar da Secretaria de Educação, Cultura e Turismo, envolvendo atividades de apresentação, preparo e degustação de comidas, produzidas a partir de alimentos vistos como alternativas alimentares para a melhoria da qualidade de vida.

A Semana da Alimentação Saudável, que envolve práticas pedagógicas desenvolvidas no âmbito da Educação alimentar e nutricional, está sendo realizada em todas as unidades de ensino da rede, desde a Educação Infantil até a Segunda Fase do Ensino Fundamental. É algo que já faz parte do calendário de Escolas, Emeis e Cmeis, as quais geralmente se concentram em atividades que relacionam ensino e alimentação, via de regra, durante a última semana de março, com culminância sempre em dias próximos a 31 do respectivo mês, data em que se comemora o Dia da Saúde e Nutrição. Nos dias da semana, o tema alimentação é inserido com exclusividade no planejamento de atividades educacionais das instituições municipais de ensino que, sob orientação da equipe de nutrição da Secretaria, executam as ações promovendo o envolvimento das crianças.

Conforme explica Marília Araújo (foto acima), nutricionista que atua na Coordenaria de Alimentação Escolar da Secretaria Municipal de Educação, uma das responsáveis pela orientação e acompanhamento da proposta nas unidades educacionais da rede, há diversos objetivos circunscritos nas atividades desenvolvidas durante a Semana da Alimentação Saudável. O principal deles, porém, é o de promover a mudança de hábitos alimentares, o que inclui a redução do consumo de alimentos processados e o aumento do consumo de frutas e verduras, produtos que enfrentam resistência principalmente por parte das crianças. Ela explica que pequenas mudanças na alimentação são de extremo valor na prevenção de doenças crônico-degenerativas. “Precisamos refletir sobre como são feitas nossas escolhas, quando se trata de avaliar o que comemos. Afinal, essas escolhas estão intimamente relacionadas à nossa qualidade de vida.”, argumenta, acrescentando que a prática da boa alimentação deve começar desde cedo, de maneira que a escola exerce importância fundamental no papel de sensibilizar a criança a mudar seus hábitos para que esta partilhe em casa do aprendizado adquirido. “A Semana da Alimentação surgiu como um instrumento para contribuir com a conscientização de escolhas alimentares mais saudáveis pelos nossos estudantes.”, finaliza.

Rua Gervásio Pinheiro, APM Residencial Solar Central Park
CEP: 74.968-500
Horário de Funcionamento:
08h as 11h30 - 13h as 17h30
Telefone: (62) 3545-5800 / 3545-5801

educacao@aparecida.go.gov.br
Telefone: (62) 3545-5949

Rua 04 com Rua 05, Qd. JA, Área Pública S/N, Setor Araguaia, CEP: 74981-040

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU EMAIL